segunda-feira, 10 de março de 2014

Reinventando Diablo 3 - Patch 2.0.1


No último dia 25, Diablo 3 recebeu o patch 2.0.1, que trouxe grandes mudanças à mecânica do jogo. O patch precede a desativação das casas de leilão (dia 18/03) e lançamento da expansão Reaper of Souls (25/03). As novidades continuam chegando, e estão transformando Diablo 3 num jogo diferente daquele lançado em 2012.


Diablo 3 foi lançado em Maio de 2012, doze longos anos após o lançamento de seu predecessor. Diablo 2 havia sido um sucesso estrondoso, ajudando a definir várias das convenções de jogos multiplayer online. Nesse intervalo, a Blizzard dominou o mundo dos MMO's com World of Warcraft (e várias expansões), além de lançar a continuação de um dos mais bem sucedidos jogos de estratégia de todos os tempos, Starcraft 2.

O jogo encontraria um mercado muito diferente daquele que recebeu Diablo 2. O cenário de games em 2012 era muito mais forte do que em 2000, incontáveis jogos já haviam derivado da fórmula de Diablo e havia uma nova geração que não crescera jogando Diablo e Diablo 2. Por outro lado, os gamers estão habituados a esperar milagres vindos da Blizzard, que é notória por desenvolver devagar e esbanjar qualidade.

Lançamento

O produto lançado foi ótimo. Apesar de um início turbulento, com bugs e indisponibilidade de servidores, tratava-se de um produto sólido, com uma história envolvente e alta qualidade de produção. O jogo, no entanto, não era perfeito. Alguns dos principais pontos citados, tanto pela crítica especializada quanto pelos próprios jogadores:

  • O jogo era muito semelhante aos RPG's de ação existentes. Faltava o fator revolucionário de Diablo 1 e 2
  • A mecânica de evolução do personagem (skill tree) era engessada. O jogador poderia customizar o seu personagem livremente, mas não poderia escolher quais habilidade seriam aprendidas ou melhoradas.
  • As casas de leilão tiravam a graça de obter itens no próprio jogo. Era mais vantajoso pesquisar um pouco e comprar um item espetacular em leilão do que usar os itens comuns dados pelos monstros.
  • O jogo era muito fácil nas primeiras dificuldades. Como só era possível abrir as dificuldades maiores terminando o jogo nas dificuldades menores, o jogo só ficava divertido depois de muitas horas.
Com o passar do tempo, Diablo 3 recebeu diversos patches que atenderam a alguns desses pontos, principalmente o da dificuldade. A versão de Diablo 3 para consoles, em Setembro de 2013, mudou alguns desses pontos. Dentre eles, talvez o mais relevante seja a ausência de casas de leilão, acompanhada por uma mecânica melhor de geração de itens. A comunidade de Diablo no PC também sentiu falta do suporte a controle e modo cooperativo local, disponível nos consoles. Na Gamescom em 2013, a blizzard anunciou a expansão Reaper of Souls, e também começou a divulgar também um patch para melhorar o jogo como um todo.


Atualização

Avançamos para 2014, com o lançamento do patch. A relação completa de mudanças pode ser conferida diretamente da Blizzard. A versão compacta é:
  • Novos níveis de dificuldade dinâmicos: são 10 níveis de dificuldade (3 disponíveis logo no começo, 1 que é liberado após o ato 4, mais 5 que são liberados quando um personagem atinge nível 60). O poder dos monstros escala com o nível do seu personagem. É possível trocar o nível de dificuldade sempre que se inicia uma partida. 
  • Loot 2.0: reformulação das regras que regem os itens (por exemplo, as chances agora são bem maiores de se encontrar um item condizente com o seu personagem)
  • Diversas alterações nas habilidades dos personagens
  • Diversas funcionalidades sociais, para grupos, clãs, etc
  • Desativação das casas de leilão (em 18/03)
  • Nova classe: Crusader (em 25/03, com o lançamento da expansão)
  • Adventure mode (em 25/03, com o lançamento da expansão)
  • Mas.... sem suporte a controle nem modo cooperativo local

Vale mencionar que quando joguei Diablo 3, recém lançado, joguei até o fim morrendo apenas duas vezes e sem nem saber qual era o botão da poção. Apenas comprei alguns itens bons nos leilões e configurei as habilidades do personagem para torná-lo mais auto-suficiente. Mesmo contra os inimigos mais fortes, tudo o que eu fazia era chamar a atenção de um grupo e soltar umas magias mais fortes lá no meio, repetindo até o fim do jogo. Vale dizer que joguei na dificuldade "normal" (mais fácil), e que a próxima dificuldade só abria quando se terminava o jogo.

Agora com a versão atualizada: joguei por aproximadamente quatro horas, primeiro com um bárbaro lvl 1 e depois com um monk lvl 40. Em ambos os casos, joguei em nível Master, que é o quarto nível de dificuldade. Minha primeira impressão foi muito boa. Jogando com o bárbaro, tive certa dificuldade mesmo com os inimigos mais fracos. Foi necessário fugir mais e administrar o combate. Pela primeira vez tive que usar poções! Jogando com o monk, observei que o jogo também ficou mais difícil, mas não tanto. Para ambos os personagens, conforme eu encontrava itens mais fortes, a experiência ficou mais tranquila, mas não muito mais fácil. É importante mencionar que, no caso do monk, rapidamente encontrei itens mais fortes dos que eu havia comprado em leilões. Isso provavelmente está ligado ao aumento da dificuldade, que gera itens melhores.

Do que observei até agora, o jogo ficou mais próximo do que tem que ser de verdade. Inimigos normais são "matáveis", mas incomodam quando se juntam em grupos grandes. Inimigos especiais exigem mais atenção e habilidade, e criam situações de tensão. Ainda não enfrentei nenhum chefe após a atualização, mas já começo a imaginar o problema. Essas características me remetem a minha experiência com Diablo e Diablo 2.

Tiro o chapéu para a Blizzard. Poucas são as histórias de empresas que investiram tão pesado para melhorar um jogo após o lançamento (exceto MMO), quem dirá com dois anos de diferença. O único caso semelhante de que me lembro é The Witcher, em 2007. Dois anos costuma ser o tempo necessário para as companhias abandonarem o suporte e empacotarem as novas idéias em uma continuação.

O que posso dizer é que a atualização renovou minha fé em um jogo que havia me decepcionado. Já estou guardando uns trocados pra comprar a expansão. Se você ainda não jogou, nunca houve um momento melhor pra começar!

Postagens Relacionadas



Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário